1 de dezembro de 2013

Atualizações


Os textos deste blog estão sendo revisados e aos poucos serão postados novamente.

Abaixo você já pode conferir as postagens atualizadas.

19 de agosto de 2013

'Lola a Pioneira'


No dia 13 de agosto participei de um dos ensaios da peça ‘Lola a Pioneira’. Era início de tarde quando cheguei a um pequeno teatro na Bela Vista, próximo do Teatro Sérgio Cardoso. Foi lá que acompanhei o ensaio e, sem conhecimento prévio da história, me surpreendi.

‘Lola a Pioneira’ é um monólogo escrito e dirigido pelo ator Mário Goes e conta a história de Lola, uma cafetina de travestis (ela também travesti) que vê seu império desmoronar enquanto é lançada numa jornada de autoconhecimento. Interpretada pela transformista Alexia Twister, conhecida por seus shows na Blue Space (maior casa de show de transformistas do Brasil), Lola ganhou vida a cada minuto no palco. O ensaio foi feito sem figurino e com algumas cenas incompletas, mas não foi difícil abstrair e absorver a história, imaginando sua montagem final.

O texto de Mário Goes é rico, carregado de significados e costurado com muito esmero. Foi o texto o responsável por me fazer mergulhar no drama de Lola e me sentir parte da história. Essa imersão também é provocada pelo talento de Alexia, que surpreende desde o início e segura o fôlego de um monólogo com maestria.

A direção é outro aspecto bem trabalhado na peça. As cenas são coreografadas e construídas com minúcia para transmitir a mensagem corporal de cada momento da narrativa. É pura catarse para os mais detalhistas.

A narrativa trabalha o tempo todo com a desconstrução e através dela provoca uma reflexão a respeito das mudanças da vida. É uma história universal, atemporal e que tem tudo para fazer muito sucesso nos palcos. Vi a peça sem sua roupagem final, basicamente texto e atuação, e o resultado é surpreendente. Mário Goes e Alexia Twister irão arrasar nos palcos.

Por fim, deixo a provocação: Quem é Lola, a pioneira?

-------

A estreia acontece no dia 11/09 e a peça fica em cartaz até o dia 31/10, todas as quartas e quintas, no Teatro do Ator (Praça Roosevelt). Os ingressos sairão por R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia).

No dia 10/09 será a pré-estreia, fechada para amigos e imprensa. Você pode concorrer a um par de ingressos clicando aqui.






Ficha Técnica:

Texto e Direção: Mário Goes

Ator/Transformista: Alexia Twister

Figurino: Edson Fabrício

Fotografia: Daniela Silveira

Vídeo: Mário Goes e Thiago Nascimento

19 de junho de 2013

17 de Junho de 2013


Relato da minha participação no Quinto Grande Ato contra o aumento das passagens em São Paulo, organizado pelo Movimento Passe Livre.  

Cheguei à Faria Lima às 18h. Por volta das 16h30, na estação Consolação, soavam boatos de que as estações Faria Lima e Pinheiros estavam fechadas e a polícia confiscava celulares nas catracas. Não passavam de boatos. 

Juntamente da companheira Carol Cassiano, andei a Paulista até a Avenida da Consolação, seguindo a Dr. Arnaldo e descendo a Teodoro Sampaio até o Largo da Batata. O que vimos pelo caminho foram jovens com flores e cartazes nas mãos.  

No Largo da Batata, as pessoas que se agrupavam em frente à estação Faria Lima formavam um grupo heterogêneo. Crianças, jovens, adultos, idosos e cachorros. O clima de alegria contagiava. Era impossível dimensionar a quantidade de pessoas que estavam por lá e o sinal de celular se tornou inconstante. Mensagens de texto chegavam com atraso e encontrar amigos era impossível. Uma amiga, Camila Achille, enviava por sms a direção do protesto e possíveis ações da polícia.

Tudo correu bem. Permaneci com o grupo que seguiu a Faria Lima até a Juscelino Kubitschek. Pelo caminho, nada de vandalismo ou violência. Coros de "Vem pra rua, vem! Contra o aumento!" e "Que coincidência, sem polícia, sem violência!" dominaram a marcha. Nos prédios, pessoas demonstravam seu apoio com lençóis, toalhas e até guarda-chuvas brancos. Folhas de papel branco caíam de alguns prédios com delicada aprovação.

Na Juscelino, paramos por alguns minutos. O trajeto da manifestação não estava claro. Parte das pessoas seguiam a Juscelino sentido Marginal Pinheiros, enquanto outro grupo seguia no sentido contrário, em direção à Brigadeiro e à Paulista. Fui em direção à Paulista, com a energia contagiante dos coros e a disposição inabalável do povo. Solidariedade e companheirismo pairavam no ar.

Os ônibus presos no meio do protesto, da Faria Lima à Paulista, permaneciam sem danos. No lugar das pixações, adesivos e cartazes, colados com fitas adesivas, decoravam os coletivos. Pessoas dentro dos ônibus acenavam demonstrando apoio. Motoristas buzinavam e piscavam os faróis dos carros com entusiasmo enquanto outros, furiosos por não conseguir chegar em casa, permaneciam em silêncio. 

Subi a Brigadeiro tranquilamente enquanto minhas pernas reclamavam por tanto caminhar e, já próximo da Paulista, olhei para trás. O que vi foi um mar de pessoas, todas em uma só direção, com um só objetivo. As lágrimas arderam nos olhos. Fazer parte de um movimento daquela proporção, onde o povo demonstra sua voz e poder, pacificamente, deixa qualquer um sem palavras.

Na Paulista, o protesto permanecia pacífico e as pessoas se concentravam em frente ao MASP. Tomei o metrô ali mesmo e segui para a República. Eram 22h. Quatro horas e 12km depois, ficou no peito a felicidade, satisfação e esperança. Amanhã será maior!

26 de dezembro de 2012

O novo Quarto


O Quarto está de volta com novo layout e nova organização de conteúdos. A ideia é fazer do blog um espaço de experimentações textuais onde ideias podem ser compartilhadas e aprimoradas. Ao mesmo tempo, servirá também de repositório de trabalhos produzidos por mim em outros sites/blogs/etc. 

Buscando facilitar a identificação dos conteúdos, criei as tags abaixo com suas respectivas explicações: 

asterisc* - informações complementares e curiosidades sobre os assuntos tratados no blog 
lúdico - desabafos, contos e toda sorte de devaneios e experimentações literárias 
jornalismo - reportagens, matérias e textos jornalísticos 
opinião - minha visão crítica sobre diversos assuntos 
seriados - resenhas de séries de tv 
bastidores - produções sobre os bastidores de minhas produções 
colaborador - textos autorais de amigos e colaboradores 

Ao longo do tempo postarei conteúdos inéditos e textos anteriormente publicados aqui no blog. Todos os textos antigos foram tirados do ar temporariamente e ganharão uma revisão rigorosa para se adequar a nova proposta do Quarto

Espero que você, leitor, goste de tudo que está sendo preparado.

24 de agosto de 2012

Menos é mais?


Virou moda ser brega. Não me refiro ao estilo musical ou ao modo de vestir. Estes me agradam pelo exagero, drama e cores berrantes. Digo da forma com que as pessoas expõem suas vidas, minimamente interessantes e exageradamente intensificadas por postagens narcisistas, nas redes sociais.

Quem quer saber em que restaurante você está ou qual a capa do seu Moleskine novo? Ou mesmo que seu namorado/namorada é um fofo/fofa? 

Recentemente, uma amiga disse que sumi. Não. Não sumi. Continuo acessando diariamente minha caixa de e-mails, feed de notícias e Facebook. Continuo com o mesmo número de telefone e respondo mensagens de texto com rapidez invejável. Ela percebeu meu ‘sumiço’ provavelmente porque minhas postagens diminuíram drasticamente. Adotei a filosofia do “menos é mais”. Quero que minhas palavras tenham mais relevância e não sejam ignoradas nos feeds alheios.

Seguimos com uma valorização boba de marcas (vide postagem da Juliana Cunha), lugares e experiências sempre muito mais interessantes e valorizadas do que realmente são. A vida é sem graça, todo mundo sabe disso, e ninguém quer saber se você adora o biscoito da Piraquê. Ninguém dá importância, além, talvez, dos seus amigos mais íntimos.

A moda é ser brega, piegas, ou qualquer outra nomenclatura que você achar que cabe nessa afirmação. A moda é se vender da forma mais extravagante possível em um mundo desinteressante. Continuo nadando de ‘curtir’ em ‘curtir’, tentando encontrar algo relevante para ler, compartilhar, comentar. E vou te dizer... está difícil!

P.S. Desde que disponibilizaram a opção de cancelar o recebimento de feeds no Facebook a vida tem sido muito mais fácil.